No segundo dia na CPI, Pazuello se preocupou em preservar Bolsonaro, afirmam senadores


Após dois dias de depoimento à CPI da Covid, o ex-ministro Eduardo Pazuello buscou principalmente preservar o presidente Jair Bolsonaro, segundo avaliações de senadores integrantes da comissão parlamentar de inquérito. 

Para os senadores, o general sustentou nestas quarta (19) e quinta-feira (20) essa posição em temas relativos à propagação do tratamento precoce e ações para evitar a compra de vacinas, entre as quais a CoronaVac – em outubro, o próprio presidente chegou a dizer que cancelaria o contrato para aquisição do imunizante chinês desenvolvido em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo. 

Para o relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), Pazuello foi o "campeão das mentiras" entre os que prestaram depoimento à comissão. Segundo levantamento do relator, o ex-ministro mentiu ou entrou em contradição pelo menos 14 vezes.


Pazuello também evitou comentar comportamentos do presidente em desrespeito a medidas preventivas e sanitárias, como o uso de máscaras e a defesa do distanciamento social. Logo no início do depoimento, ele próprio se disse favorável às medidas. 

“O senhor está aqui claramente protegendo uma pessoa: o presidente da República. Seria melhor o senhor colaborar mais diretamente com esta Comissão Parlamentar de Inquérito porque ficou claro aqui de quem foi a responsabilidade sobre toda essa tragédia que estamos vivendo”, afirmou o vice-presidente da comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Postagens mais visitadas deste blog

Novo tempo: Secretário de Planejamento da Prefeitura do Conde está sendo processado por falsificação de documentos de imóveis

Guarda municipal de Conde armado surta dentro da Base da Guarda no momento em que as guarnições estavam em horário de repouso; assista

NORA DE ALUÍSIO E TATIANA, KARLA PIMENTEL DESCUMPRE JUSTIÇA E FAZ FESTA DO CORONA NO CONDE