Justiça manda ex-senador Cássio Cunha Lima devolver R$ 1,1 milhão aos cofres públicos


O ex-senador paraibano Cássio Cunha Lima deve devolver aos cofres públicos o valor de R$ 1,1 milhão. A decisão é da juíza Wanessa Figueiredo dos Santos Lima, da 2ª Vara Federal na Paraíba, que constatou que por quase quatro anos o político recebeu salários acima do teto constitucional. No período, ele recebeu o salário de senador e uma pensão vitalícia como ex-governador, valores que somados excediam em mais de R$ 25 mil o teto salarial de R$ 33 mil mensais no setor público.

Procurada, a assessoria do ex-senador disse que Cássio não vai se pronunciar sobre a decisão, mas que vai recorrer para as instâncias superiores a que tem direito, por discordar da decisão tomada em primeira instância.

O período de recebimento de valores acima do teto começa em 2013, mas a decisão enquadra Cássio Cunha Lima apenas a partir de novembro de 2014, quando o MPF protocolou a denúncia contra ele. E vai até maio de 2018, quando uma primeira decisão judicial limitou os vencimentos do então senador.

O ex-senador já havia sido condenado a devolver os valores, mas tinha entrado com embargos de declaração (quando a parte no processa alega falhas processuais para solicitar a revisão do caso). Na análise destes embargos, no entanto, a juíza declarou, ao se referir à pensão de ex-governador, que “a demanda não comporta mais espaço para qualquer discussão sobre a natureza jurídica desse 'instituto de natureza peculiar' recebido pelo réu, cuja concessão foi declarada inconstitucional pelo STF”.


Para tanto, ela lembra que o Supremo Tribunal Federal já declarou a inconstitucionalidade do recebimento por parte de ex-governadores. “A acumulação da pensão especial com o subsídio de parlamentar constitui afronta ao texto constitucional”, pontuou a magistrada.

Postagens mais visitadas deste blog

Novo tempo: Secretário de Planejamento da Prefeitura do Conde está sendo processado por falsificação de documentos de imóveis

Guarda municipal de Conde armado surta dentro da Base da Guarda no momento em que as guarnições estavam em horário de repouso; assista

NORA DE ALUÍSIO E TATIANA, KARLA PIMENTEL DESCUMPRE JUSTIÇA E FAZ FESTA DO CORONA NO CONDE