COMO É HOMI?: Bolsonaro diz que “R$ 600 é muito” para continuar pagando auxilio emergencial


O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (19) que o governo busca um "meio-termo" para estender o pagamento do auxílio-emergencial a desempregados e informais afetados pela pandemia do coronavírus. A ideia seria um valor entre os R$ 600 pagos atualmente e os R$ 200 defendidos nas últimas semanas.

"Os R$ 600 pesam muito para a União. Não é dinheiro do povo porque não está guardado, é endividamento. E se o país se endivida demais, acaba perdendo sua credibilidade para o futuro. Então, R$ 600 é muito", declarou Bolsonaro.

"O Paulo Guedes ou alguém falou, na Economia, em R$ 200. Eu acho que é pouco, mas dá para chegar no meio-termo e nós buscarmos que ele venha a ser prorrogado por mais alguns meses, talvez até o fim do ano, de modo que nós consigamos sair desta situação, e fazendo com que os empregos formais e informais voltem à normalidade."

Segundo Bolsonaro, o assunto foi tratado em um café da manhã nesta quinta com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), no Palácio da Alvorada. O presidente da República não informou se Maia manifestou apoio à proposta.

As declarações foram dadas na cerimônia em que o presidente sancionou leis decorrentes de medidas provisórias, já aprovadas pelo Congresso, com medidas de crédito para empresas durante a pandemia. Na solenidade, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que está "estudando" a prorrogação do auxílio.

"Estamos estudando isso. O presidente estava hoje nos instruindo, exatamente, para lançar esta camada de preservação aí para frente. Evidentemente, não há recurso para pagar os R$ 600, mas o presidente disse 'olha, vamos tentar fazer o máximo possível, dentro dos recursos que temos, para ir esticando isso'".

Na terça (18), a jornalista do G1 e da TV Globo Andréia Sadi informou que parlamentares defenderam, em reunião de líderes no Senado, a aprovação de mais uma parcela de R$ 600 e uma de R$ 300. O auxílio, como aprovado atualmente, termina no fim deste mês.

A ideia da ala política, segundo o blog, é prorrogar o auxílio e, depois, iniciar a transição para o chamado Renda Brasil, uma espécie de Bolsa Família repaginado, mas que ainda não foi criado e precisa ser aprovado pelo Congresso.

Em coletiva no início da noite, fora da cerimônia de Bolsonaro, o vice-presidente Hamilton Mourão defendeu a discussão do tema e repetiu a tese do presidente.

“Olha, caixa o governo não tem. O presidente deixou muito claro na cerimônia de agora que isso é dívida e dívida que tem que ser paga pelas próximas gerações. Então, tem que haver a discussão e o balanceamento disso em torno do custo-benefício”, disse Mourão.

FONTE: G1   

Postagens mais visitadas deste blog

Novo tempo: Secretário de Planejamento da Prefeitura do Conde está sendo processado por falsificação de documentos de imóveis

Guarda municipal de Conde armado surta dentro da Base da Guarda no momento em que as guarnições estavam em horário de repouso; assista

NORA DE ALUÍSIO E TATIANA, KARLA PIMENTEL DESCUMPRE JUSTIÇA E FAZ FESTA DO CORONA NO CONDE