CRISE: Sem os festejos juninos pelo 2º ano, Nordeste tem prejuízo de R$ 950 milhões



Devido à pandemia causada pelo novo cronavírus o segundo ano sem a celebração do São João já gerou prejuízo de R$ 1,5 bilhão para o país, informou o Ministério do Turismo. Só o Nordeste perdeu cerca de R$ 950 milhões sem as festas tradicionais.

Para mitigar os impactos da pandemia, o governo de Pernambuco enviou um projeto de lei à Assembleia Legislativa com uma proposta de auxílio emergencial para os grupos e artistas contratados pelo estado no São João de 2018 ou 2019, com valores que variam de R$3 mil a R$15 mil.

Na Bahia, a União dos Prefeitos do Estado pediu ajuda à Bahia Tur, a Superintendência de Fomento ao Turismo, para que invista em lives durante o São João deste ano, que são aquelas apresentações on-line.

Já em Campina Grande, na Paraíba, considerado o maior São João do Mundo, a prefeitura vai fazer uma parceria com a iniciativa privada para promover uma “super live” em homenagem a Dominguinhos, com 40 artistas, no próximo 17 de junho, data que marca os oito anos da morte do cantor.

No Distrito Federal, além de transmissões ao vivo e apresentações em teatros, a Liga Independente de Quadrilhas Juninas local busca financiamento para fazer uma festa estilo drive-in, com o público protegido dentro dos carros.

O quadrilheiro Patrese Mendes disse que os grupos estão se reinventando e buscando formas seguras de se apresentar. O integrante da quadrilha Formiga da Roça, que já tem 25 anos de história, defende que a cultura junina deve se manter de alguma forma acesa neste ano. “Essa história tem peso e representa a história do nordeste do país”.

Postagens mais visitadas deste blog

Novo tempo: Secretário de Planejamento da Prefeitura do Conde está sendo processado por falsificação de documentos de imóveis

Guarda municipal de Conde armado surta dentro da Base da Guarda no momento em que as guarnições estavam em horário de repouso; assista

NORA DE ALUÍSIO E TATIANA, KARLA PIMENTEL DESCUMPRE JUSTIÇA E FAZ FESTA DO CORONA NO CONDE